Destaque Notícias Novo Progresso Polícia

Assassino do Sindicalista Alenquer é condenado a 17 anos e meio de prisão

Assassino do Sindicalista Alenquer é condenado a 17 anos e meio de prisão

O Reú João Paulo Ferrari, confessou o crime e também divulgou o nome dos comparsas.

O matador de aluguel Joao Paulo Ferrari foi sentenciado nesta quarta-feira,22 de julho de 2021, a 17 anos e meio de prisão, pela morte de  Aluísio Sampaio (Alenquer), em outubro de 2018.  Ele foi condenado por homicídio qualificado.

Três pessoas foram acusadas de assassinar o sindicalista, após cometerem o crime na residência da vitima em Castelo de Sonhos, saíram em fuga pela rodovia BR 163 sentido Novo Progresso. O veículo foi interceptado no distrito de Vila Isol, a guarnição da Policia Militar conseguiu prender João Paulo Ferrari, outros dois se embrenharam na mata. O Reú João Paulo Ferrari, confessou o crime e também divulgou o nome dos comparsas.

Aluisio Sampaio, sindicalista [Alenquer,] líder da ocupação camponesa dos sem-terra “KM Mil”, foi assassinado em 11 de outubro. (Foto de Thais Borges).
Aluisio Sampaio, sindicalista [Alenquer,] líder da ocupação camponesa dos sem-terra “KM Mil”, foi assassinado em 11 de outubro. (Foto de Thais Borges).

Outro acusado de participar do assassinato do Sindicalista são “Jorge Juará, estava foragido e foi encontrado morto com tiro na cabeça na cidade de Guarantã do Norte em março de 2019.

Dieferson Machado Freitas (Bento Freitas) , continua foragido, informação que também foi assassinado no Mato Grosso, embora corpo não foi encontrado.

SENTENÇAALENQUER SENTE

Outros Crimes

João Paulo Ferrari e Dieferson Machado Freitas (Bento Freitas) também respondem pelo assassinato de dois progressenses  Ricardo Roglin e Marcio Soares de Amaral.

 

ricardo
Ricardo Roglin e Marcio Soares de Amaral foram assassinados no mesmo dia em Novo Progresso. (Foto:reprodução)

Segundo o  Ministério Publico que denunciou os acusados , relata que as vítimas foram surpreendidas em suas casas, os acusados foram de motocicleta até a casa de Ricardo Roglin, o acusado João Paulo Ferrari pilotava a moto, enquanto Dieferson executava os crimes , a primeira vítima foi chamada pelo acusado Dieferson, o qual foi convidado pela vítima a entrar em sua casa, ato continuo o acusado Dieferson efetuou disparos de arma de fogo, de calibre 380, a vítima tentou se defender com uma espingarda, mas foi atingido e veio a óbito, em seguida foram para a casa da outra vítima Marcio Soares de Amaral, usando o mesmo modus operandi, surpreenderam a vítima e desferiu tiros, também levando a morte. Em depoimento de João Paulo Ferrari, o mesmo relata que o motivo teria sido drogas e o abuso de uma mulher. Já o acusado Dieferson não foi localizado, pois segundo informações, após as mortes fugiu.

Os progressenses  Ricardo Roglin e Marcio Soares de Amaral (Marcio das Bombas) possuíam terra no assentamento Terra Nossa, onde Alenquer liderava.

Mandantes

A justiça investiga os mandante do crime, várias pessoas foram denunciadas como suspeitos e tinha interesse no assassinato do Sindicalista. Empresários e políticos de Novo Progresso foram citados antes da morte em video pelo Sindicalista.

O Tribunal do Juri decidiu com sete (7) votos pela contenção do réu e   Conselho de Sentença se reuniu nesta quarta-feira 21 de julho e condenou o réu em 17 anos e meio de prisão ele cumpre pena no presido de Itaituba.

A sentença foi proferida pelo Juiz Dr. Thiago Fernandes Estevam dos Santos.

 

Acusados (Foto:Reprodução)
Acusados (Foto:Reprodução)
Fonte:JORNAL FOLHA DO PROGRESSO

 

Notícias relacionadas

Novo Progresso recebe 120 doses da vacina contra covid 19

Edson Santos

Ficha Limpa Só Legislativo pode declarar prefeito inelegível por rejeição de contas, diz STF

Edson Santos

Câmara Legislativa Municipal de Novo Progresso esta usando a mídia para auxiliar registros de sessões

Edson Santos