Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home » Notícias » Tribunal condena ex-prefeita, que terá bens bloqueados

Tribunal condena ex-prefeita, que terá bens bloqueados

NOVO PROGRESSO – Tribunal condena ex-prefeita, que terá bens bloqueados

 Cerca de R$ 2,2 milhões deverão ser devolvidos aos cofres públicos pela ex-prefeita do município de Novo Progresso. Para que isso ocorra, a política do PSDB terá os bens bloqueados. A deliberação do Tribunal de Contas dos Municípios do Pará (TCM-PA), em desfavor de Madalena Hoffmann, aconteceu no dia 21 de novembro, e teve como base o relatório da Conselheira Maria Lúcia, que se debruçou sobre o parecer da Procuradora Maria Inez Klautau de Mendonça Gueiros, do  Ministério Público de Contas.

O documento analisou as contas do exercício de 2011, do qual não comprova a realização das obras e serviços de engenharia contratados, no valor total de R$ 2.285.137,49 (dois milhões, duzentos e oitenta e cinco mil, cento e trinta e sete reais e quarenta e nove centavos). Pela decisão do Tribunal, esse valor deverá ser recolhido aos cofres da prefeitura do município de Novo Progresso, devidamente corrigido.
De acordo com informações, o Colegiado recebeu denúncias, referenciadas em dois processos. Os de números 201212100-00 e 201220712-00, que versam sobre o pagamento de construção de uma ponte que nunca existiu.
“Cientifique-se, por meio desta decisão, a Prefeitura do Município de Novo Progresso, no presente exercício de 2019, por intermédio do Chefe do Executivo Municipal, quanto à obrigatoriedade de adoção das providências de execução dos valores apontados à restituição ao erário, após o trânsito em julgado desta decisão, comprovando-a, junto ao TCM-PA, sob pena de comunicação do fato ao Ministério Público Estadual, para as providências de alçada, voltada a apuração de ato de improbidade administrativa e de crime de. Encaminhar cópia dos autos ao Ministério Público Estadual, para as providências cabíveis referentes às contas prestadas pela ordenadora Madalena Hoffmann”, informou a relatora.
Hoffmann também foi multada em 5.000 UPF’s-PA (cinco mil Unidades de Padrão Fiscal do Estado do Pará), o que totaliza quase R$ 100 mil. Entre as irregularidades apontadas pelo TCM estão o descumprimento de envio de dados e a remessa fora do prazo da prestação de contas, balanço geral e da lei de diretrizes orçamentárias dos quadrimestres julgados, entre outras. A ex-prefeita, que ainda pode recorrer da decisão, tem 30 dias para devolver o valor aos cofres públicos.
BLOQUEIO DE BENS: Como Medida Cautelar, os Conselheiros ainda determinaram o bloqueio de bens da Madalena Hoffmann.
“Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, determinamos a aplicação de Medida Cautelar de indisponibilidade dos bens de Madalena Hoffmann, em quantidade suficiente para garantir o ressarcimento dos danos causados ao Erário do Município de Novo Progresso, no valor de R$ 2.285.137,49, relativo ao pagamento de obras e serviços de engenharia sem a comprovação da execução do objeto contratado, valor que deverá ser recolhido atualizado.Determina-se, ainda, nos termos do Art. 146, do RITCM-PA, o encaminhamento de cópia dos autos à Promotoria de Justiça da Comarca de Novo Progresso, para a adoção de providências judiciais de alçada, destinadas ao bloqueio e arresto de bens, junto aos sistemas BACENJUD, RENAJUD e Cartórios de Registros de Imóveis do 1º e 2º Ofícios de Novo Progresso e Cartórios de Registro de Imóveis do Município de Novo Progresso, com o escopo de consignar efetividade à Medida Cautelar fixada”, determina a decisão.
 jornal O Impacto

Check Also

Em nota, Celso de Mello diz que não pediu apreensão de celular de Bolsonaro

Em nota, Celso de Mello diz que não pediu apreensão de celular de Bolsonaro Ministro …