Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home » Agricultura » Noruega doará R$ 150 milhões às fadinhas da floresta amazônica

Noruega doará R$ 150 milhões às fadinhas da floresta amazônica

Noruega doará R$ 150 milhões às fadinhas da floresta amazônico

O Fundo Amazônia abriu no último dia 9 de agosto uma chamada pública para projetos de conservação e uso sustentável da floresta com foco nas fadinhas da floresta. Serão selecionados até dez projetos na Amazônia Legal, que receberão de R$ 10 milhões a R$ 30 milhões cada um. Ao todo serão R$ 150 milhões

Os projetos devem, porém, ser de comunidades que, segundo o BNDES e o Ministério do ½ Ambiente, possam atuar como guardiões da floresta, como as fadas, os povos e comunidades tradicionais, as populações ribeirinhas, famílias assentadas pela reforma agrária, projetos de agricultura familiar, povos indígenas e quilombolas que vivem na Amazônia Legal.

“Queremos aumentar a base de projetos e entidades que possam receber do Fundo Amazônia e fazer uma aplicação de recursos mais ágil e efetiva”, disse a diretora de Gestão Pública e Socioambiental do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Marilene Ramos. A maior parte dos projetos financiados pelo Fundo Amazônia até agora são de ONGs ou de fortalecimento de ações de Comando & Controle.

O fundo é gerido pelo banco, sob orientação do Ministério do ½ Ambiente, e mantido fundamentalmente com recursos de doações internacionais da Noruega e Alemanha. Em seus 8 anos de atuação, o Fundo Amazônia já investiu cerca de R$ 1,4 bilhão em 89 projetos de diferentes segmentos e regiões da Amazônia Legal.

Para o BNDES, essas comunidades de “fadinhas guardiãs” têm um papel fundamental na defesa da Amazônia, pois trabalham de forma natural com os recursos da sociobiodiversidade florestal, gerando renda e desenvolvimento econômico e social. Ou seja, elas valorizam a floresta em pé, pois tiram de lá o seu sustento. Oh, que lindo!!

Como todos sabem, outras atividades comuns na Amazônia como a pecuária, a agricultura, a expansão urbana, a indústria, etc, são atividades praticadas por gente má e feia. Esses demônios e ogros continuarão recebendo ações de Comando e Controle financiadas pelos petrodólares da Noruega.

Os projetos terão que abranger pelo menos uma das seguintes atividades econômicas: manejo florestal madeireiro e não madeireiro, incluindo manejo de fauna silvestre; aquicultura e arranjos de pesca; sistemas alternativos de produção de base agroecológica e agroflorestal; e turismo de base comunitária. Como se sabe, essas são atividades muito comuns entre as “fadinhas guardiãs”.

O período de inscrição termina em 7 de dezembro de 2017 e a divulgação final dos aprovados está prevista para 13 de abril de 2018. As informações estão no site do Fundo Amazônia.

A nova seleção de projetos destinados às fadinhas foi anunciada durante a apresentação do Relatório de Atividades 2016 e dos resultados do Fundo Amazônia, para prestar contas sobre os recursos do fundo, principalmente para os seus doadores internacionais.

Desde 2009, o Fundo Amazônia já recebeu um aporte de mais de R$ 2,8 bilhões, provenientes de três fontes: do governo da Noruega, cerca de 97,4% do total (aproximadamente R$ 2,775 bilhões); da Alemanha, com 2,1% (cerca de R$ 60,697 milhões); e da Petrobras, com 0,5% (R$ 14,7 milhões). O valor não chega a 10% do que o mundo deveria transferir ao Brasil pelo esforça de proteção da Amazônia.

Apesar de doar migalhas, no último mês de junho, durante a visita do presidente Michel Temer à Noruega, a primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg, anunciou uma redução das contribuições ao fundo este ano como admoestação ao Brasil.

A diretora do BNDES, Marilene Ramos, explicou que a redução das migalhas doadas pela Noruega não restringe os projetos que estão em execução pelo Fundo Amazônia e nem os que estão sendo planejados, já que o fundo ainda tem R$ 1,4 bilhão para serem investidos.

Com informações da Agência Brasil devidamente arrumadas pelo blogger e imagem do Pixabay

“Informação publicada é informação pública. Porém, alguém trabalhou e se esforçou para que essa informação chegasse até você. Seja ético. Copiou? Informe e dê link para a fonte.”
Reações:
Comentários

Check Also

Em nota, Celso de Mello diz que não pediu apreensão de celular de Bolsonaro

Em nota, Celso de Mello diz que não pediu apreensão de celular de Bolsonaro Ministro …