Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home » Destaque » Garimpos da Amazônia região Oeste do Pará, recebem ultimato do Governo Federal, e com eles a economia da região está ameaçada em cerca de setenta por cento

Garimpos da Amazônia região Oeste do Pará, recebem ultimato do Governo Federal, e com eles a economia da região está ameaçada em cerca de setenta por cento

Nossa reportagem visitou os principais garimpos da Região ligada a Cidade de novo Progresso (PA) entre eles: Pistinha, São Raimundo, Patrocínio, Água-Branca, São Francisco, Porto-novo e Tocantins.

Ouvimos os moradores dos mesmos que nos disseram estarem com medo dessa decisão do governo Federal, de fechar os garimpos para que os mesmos se adéqüem as normas da lei que é de eliminar as máquinas pesadas como tratores, e dragas, e que a mesma possa causar fome na Região.

A realidade segundo eles, é que não se trata apenas de garimpos e sim de comunidades existentes algumas com mais de 40 anos como é o caso de Crepurizão, e Garimpo Patrocínio.

E que nestas comunidades vivem famílias tradicionais, e com hierarquia de membros como avós pais netos e etc, com Escolas Delegacias e Presidentes de comunidades nestas regiões.

Ouvimos comentários de famílias que disseram não saberem tirar seu sustento em outras atividades a não ser a garimpeira, e disseram: “Para onde iremos?”

São cerca de 50 mil pessoas só na Região compreendendo de Crepurizão até Novo Progresso que dependem das atividades garimpeiras da região, fora a Cidade de Itaituba com cerca de 120,000 Habitantes e com muitos ligados ao Garimpo.

Segundo moradores e comerciantes, o Governo teria que apresentar uma solução in loco para abrigar essas famílias e estes trabalhadores para que no mínimo tire seu sustento digno em outras atividades.

As zonas urbanas como Novo Progresso Morais Almeida e Itaituba já começam a sentir o abalo econômico no comércio.

O que nós observamos, é que enquanto um funcionário público gasta cerca de R$ 10,00, uma pessoa ligada mesmo indiretamente ao garimpo, mas que também mora na cidade, como é o caso de cozinheiras filhos de garimpeiros filhos de comerciantes etc, gastam em média R$ 40,00.

As pessoas comentam no geral que o governo está corretíssimo em tomar esta decisão, mas tem que primeiro apresentar uma solução para os efeitos colaterais que com certeza virão.

Os primeiros garimpos já começam a encerrar suas atividades como é o caso do Garimpo de água-Branca, que os moradores já começam a deixar o local e para traz deixando casas Hotéis Boates Bares Restaurantes etc

Novo Progresso 21/02/2013

Nildo Figueira

Check Also