Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home » Estado do Pará e Região » Furto de madeira aumenta na Flona Tapajós na pandemia de Covid-19

Furto de madeira aumenta na Flona Tapajós na pandemia de Covid-19

Furto de madeira aumenta na Flona Tapajós na pandemia de Covid-19
A Flona Tapajós possui uma área de 527.319 mil hectares, abrangendo os municípios de Aveiro, Belterra, Placas e Rurópolis, no Oeste do Pará
Fotografo: Reprodução
Nas últimas semanas, o ICMBio intensificou as fiscalizações na Unidade de Conservação (UC)
Desde o início da pandemia no primeiro semestre de 2020, se observou o aumento dos furtos de madeira na área da Floresta Nacional do Tapajós (Flona), de acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Por conta disso, nas últimas semanas, o ICMBio intensificou as fiscalizações na Unidade de Conservação (UC).
Segundo o Instituto, a fiscalização ambiental é uma atividade essencial, onde os fiscais atuam, inclusive nos finais de semana, para proteger os recursos naturais da UC.
A Fiscalização Ambiental, de acordo com o ICMBio, faz parte da estratégia de proteção das unidades de conservação, embasada no poder de polícia ambiental (Lei 11.516/2007) e com a finalidade de coibir infrações ambientais relacionadas às UCs.
Em ação realizada no dia 29/01, uma equipe do ICMBio, formada por fiscais e brigadistas, identificou mais uma área de exploração ilegal de madeira no interior da UC, no Município de Belterra. No local, uma serraria clandestina foi desativada. O próximo passo, segundo os fiscais, é identificar os responsáveis pela atividade ilegal e aplicar as penalidades previstas na legislação ambiental.
Já no dia 14 de janeiro de 2021, a equipe apreendeu três caminhões carregados de toras de ipê. A extração ilegal de madeira estava ocorrendo na área em Interface com a Terra Indígena Bragança-Marituba. A madeira apreendida foi doada ao Conselho Indígena Munduruku de Belterra (CIMB). A equipe da Gerência Regional 1 do ICMBio e PRF apoiaram a ação na UC.
No dia 10 de janeiro, a equipe localizou outra área de exploração ilegal de madeira. A madeira apreendida foi doada para a Secretária de Educação de Belterra e será utilizada na construção de escolas municipais localizadas na Flona do Tapajós.
Hoje, de acordo com o ICMBio, a Flona Tapajós possui uma área de 527.319 mil hectares, abrangendo os municípios de Aveiro, Belterra, Placas e Rurópolis, no Oeste do Estado do Pará. O ICMBio ressalta que o objetivo da UC é o uso múltiplo sustentável dos recursos florestais e a pesquisa científica, com ênfase em métodos para exploração sustentável de florestas nativas.
ATIVIDADES SUSPENSAS
Em atendimento aos decretos do Governo do Pará e do Município de Belterra (Nº 800 e Nº 44 publicados em 30/01/2021), onde a região do Baixo Amazonas passou a fazer parte da zona 00 (bandeira preta), de contaminação aguda, definida pelo colapso hospitalar e avanço descontrolado da Covid-19, o ICMBio informou que a visitação pública, pesquisas científicas, reuniões presenciais e demais atividades não essenciais estão suspensas na Flona Tapajós. A medida visa evitar a proliferação do coronavírus dentro da UC.
Por: Manoel Cardoso
Fonte: Portal Santarém

Check Also

Governador diz que firmou acordo com a Aneel para incluir Pará na MP de redução da tarifa de energia

ECONOMIA Governador diz que firmou acordo com a Aneel para incluir Pará na MP de …